Capacitação interna do Grupo Confiatta com tema “Oratória” promove conhecimento e integração da equipe

A necessidade de ter que falar em público ainda assusta muitos profissionais das mais diversas áreas de atuação. A situação traz nervosismo, fala e desenvoltura desordenadas e outros problemas que atrapalham a exposição de ideias com clareza e concisão. Para driblar este cenário, nada mais eficiente que o estudo das técnicas de oratória. Por isso, na última segunda-feira, 11/06, colaboradores do corpo técnico e administrativo do Grupo Confiatta participaram da capacitação interna de oratória, ministrada pelo advogado e especialista em direito público e privado, Dr. Osmil Campos – sócio do escritório Veloso e Campos, sediado em São Paulo. O evento ocorreu no auditório da empresa e reuniu profissionais das áreas de consultoria jurídica, licitações e contratos, defesas do Tribunal de Contas, Terceiro Setor, contabilidade, sistemas, comercial e institucional.

De forma geral, a oratória é uma metodologia para aperfeiçoamento do temido ato de “falar em público”, objetivando linguagem clara, de modo que se desperte a atenção da plateia. Na capacitação interna, o planejamento do conteúdo apresentado por Dr. Osmil, ressaltou dados de estudos sobre a real dificuldade que muitas pessoas têm acerca do tema, os mecanismos de defesa naturais do corpo para lidar com a situação e as técnicas para driblar o problema, passando pela organização lógica do raciocínio, o planejamento do que será exposto, a dicção adequada, a postura recomendada e até mesmo a vestimenta, dependendo da ocasião. “A essencialidade da comunicação verbal, e até da não verbal, está presente no cotidiano de qualquer pessoa. Não é a quantidade de palavras, mas a qualidade delas que fazem de nós bons oradores. É preciso ter foco em construir conhecimento junto àquele público”, ressalta Dr. Osmil.

Durante o evento, Dr. Osmil propôs atividades práticas junto aos colaboradores. Foram momentos de integração entre os diversos setores da empresa, em que todos participaram, acompanhando atentamente a apresentação que durou cerca de três horas. “Todos somos capazes, basta praticar”, aponta o advogado. O diretor executivo do Grupo Confiatta, Dr. Julio Machado, também participou da ação junto à equipe: “um dos propósitos como gestor é ter este olhar para as necessidades dos colaboradores, promovendo eventos que fortaleçam a integração, mas que também agreguem conhecimentos que serão utilizados na prática do dia a dia no desenvolvimento de suas atividades. Foi um momento de estudo, mas também de descontração entre a equipe. A expectativa é de que, em breve, possamos trazer novos formatos e temas para estes treinamentos”, finaliza.

Dr. Osmil Campos ministra capacitação na sede do Grupo Confiatta

Integração da equipe marcou evento com tema “Oratória”

Atenção Prefeituras Municipais: Eleições 2018 não interferem na realização e homologação de Concursos Públicos

Neste ano de eleições, é permitida a realização, a homologação e até mesmo a nomeação de candidatos aprovados em Concursos Públicos? Tal assunto vem gerando dúvidas entre as Prefeituras Municipais em todo o País. E, diferente do que muitos acreditam, a resposta é: sim! Para explicar a temática, a especialista em recursos humanos e advogada do Grupo Confiatta, Dra. Geni Tebet, faz a interpretação do que determina a Lei Eleitoral 9.504/97: “o artigo 73 disciplina sobre o que é ou não permitido aos agentes públicos em ano de eleições. Especificamente no inciso V, encontra-se a vedação à nomeação, contratação, admissão, demissão sem justa causa, readaptação de vantagens, transferências e exoneração de servidores públicos nos três meses que antecedem as eleições até a posse dos eleitos”, explica.

Contudo, Dra. Geni lembra que a leitura do inciso deve considerar um termo que faz toda a diferença para a análise e parecer favorável aos concursos neste ano: “O trecho que aponta a proibição de contratação de pessoal é seguido da afirmação ‘na circunscrição do pleito’, mudando completamente o contexto, uma vez que as proibições são aplicadas somente no local em que a eleição estiver direcionada. Desta forma, entendemos que a legislação está relacionada à abrangência administrativa do pleito: “As condutas vedadas têm o objetivo de impossibilitar que os ocupantes de postos políticos estratégicos façam uso das prerrogativas do cargo em benefício próprio nas eleições, o que lhes garantiria vantagens frente aos concorrentes”, afirma a advogada.

A título de reforçar o conceito, aprovado pela Lei Federal nº 4.737, de 15 de julho de 1965, transcrevemos o que determina o artigo 86 do Código Eleitoral Brasileiro: “Nas eleições presidenciais, a circunscrição será o País; nas eleições federais e estaduais, o Estado; e nas municipais, o respectivo Município”. Dra. Geni observa que: “em 2018, as eleições são estaduais e federais, e em nada interferem nos municípios que, por sua vez, podem dar prosseguimento normalmente aos procedimentos de Concursos Públicos”, diz. No entanto, lembramos que as Câmaras Municipais devem se atentar para não que novas contratações não acarretem o aumento de despesas nos últimos 180 dias do mandato de seu Presidente, que ocorre no presente ano (clique aqui e leia a matéria que trata especificamente deste tema).

Portanto, é do entendimento do serviço de Consultoria Jurídica do Grupo Confiatta que os Municípios podem realizar Concursos Públicos e processos seletivos normalmente neste ano de 2018, já que a restrição contida no inciso V do artigo 73 da Lei Federal nº 9.504/97 não se aplica às Prefeituras nestas eleições. Para conhecer ainda mais o funcionamento do serviço de Consultoria Jurídica do Grupo Confiatta, envie uma mensagem ou e-mail para contato@confiatta.com.br e um de nossos especialistas entrará em contato.