Porque o software eConfACI é a solução para o controle interno de repartições públicas?

Por Júlio Machado

Para dar início a este artigo, proponho, primeiramente, um questionamento: porque a responsabilidade do controle interno recai somente sobre o controlador? Pode parecer óbvio, mas é a partir daqui que damos início a uma importante reflexão sobre deveres e responsabilidades no sentido da organização estratégica de dados públicos.

Desde os primórdios da contabilidade, existe o princípio da segregação das funções: “quem executa, não deve controlar”. Quem trabalha na gestão pública sabe que é frequente encontrar diferenças entre as informações existentes no sistema da administração e as informações no sistema AUDESP do Tribunal de Contas do Estado (TCE/SP). E, pior: em alguns casos, as diferenças decorrem devido a erros de programação em sistemas de contabilidade.

Aos contadores, digitadores, consultores, secretários de finanças ou ao profissional que é responsável por preencher os relatórios de controle interno no sistema, nós perguntamos: vocês já tiveram que lidar com apontamentos como “falta de fidedignidade das informações”? Por acaso sabem dizer de onde vem esta falha? A empresa que presta serviços de contabilidade ou consultoria sabe orientar de forma correta estas ou outras indicações?
Pois bem, nós te ajudamos! O software eConfACI – Sistema de Apoio ao Control
e Interno, desenvolvido pelo Grupo Confiatta, chega ao mercado com uma proposta totalmente inovadora. Isso porque, partimos do princípio da descentralização do controle, mediante compartilhamento de responsabilidades. Além disso, nosso sistema foi desenvolvido em conformidade ao AUDESP, ou seja, adaptamos todas as informações sob o mesmo ponto de vista da exigência dos agentes fiscalizadores do TCE.

Ao invés de buscar as informações nos bancos de dados, o eConfACI traz o arquivo “xml” gerado pelo sistema de contabilidade para que os dados sejam analisados. Ele ainda automatiza uma série de rotinas, proporcionando otimização de tempo em larga escala ao sistema de controladoria. Desta forma, todos os servidores envolvidos efetivamente no processo de preenchimento podem trabalhar nos pontos que realmente são importantes e que impactam na gestão de suas unidades administrativas. E tem mais: possibilitando até mesmo a abertura de processos eletrônicos para “análise de riscos”. Muito prático!

Vale ressaltar que o eConfACI também atende aos formatos exigidos pelos Tribunais de Contas dos Estados de Santa Catarina e Espírito Santo. Com isso, estamos cada vez mais próximos de fazer do controle interno o principal aliado dos gestores públicos e o principal agente de mudança de paradigmas em contas públicas. Foi um prazer poder conversar um pouco mais com vocês! Se tiverem dúvidas ou sugestões enviem por mensagem ou em nossos comentários. Até a próxima!

Publicações Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.