Publicada em: 07/10/2021

Outubro Rosa e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU

Chegamos no mês de outubro e, como todos os anos, tiveram início as campanhas do Outubro Rosa, visando a conscientização para o controle do câncer de mama. Esta data foi criada no início da década de 1990 pela “Fundação Susan G. Komen for the Cure” e é celebrada anualmente para proporcionar maior acesso aos serviços de diagnóstico e de tratamento do câncer de mama, contribuindo para a redução da mortalidade. 

 

Mas você sabe a relação desta campanha com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU e a Agenda 2030?

 

Antes de responder a esta pergunta, é importante trazer uma breve explicação sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

 

Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) foram estabelecidos em setembro de 2015, quando os 193 (cento e noventa e três) Estados-membros da ONU se reuniram em Nova York e reconheceram que a erradicação da pobreza, em todas as suas formas e dimensões, incluindo a pobreza extrema, é o maior desafio global, sendo um requisito indispensável para o desenvolvimento sustentável.

 

Constituem 17 (dezessete) objetivos (de desenvolvimento sustentável), que estabelecem 169 (cento e sessenta e nove) metas que visam a erradicação da pobreza e a promoção de uma vida digna para todos, dentro dos limites do planeta. Podemos dividir estes temas em quatro dimensões principais: 1) Social: relacionada às necessidades humanas, de saúde, educação, melhoria da qualidade de vida e justiça; 2) Ambiental: trata da preservação e conservação do meio ambiente, com ações que vão da reversão do desmatamento, proteção das florestas e da biodiversidade, combate à desertificação, uso sustentável dos oceanos e recursos marinhos até a adoção de medidas efetivas contra mudanças climáticas; 3) Econômica: aborda o uso e o esgotamento dos recursos naturais, a produção de resíduos, o consumo de energia, entre outros; 4) Institucional: diz respeito às capacidades de colocar em prática os ODS.

 

 

São estes os 17 objetivos que compõem a Agenda 2030, que é um plano de ação voltado para as pessoas, o planeta e a prosperidade, que busca fortalecer a paz universal, na qual o Brasil também é compromissário.

 

Nesse sentido, destacamos o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS), nº 03, que objetiva assegurar a saúde e bem-estar para todos, em todas as idades.

 

 

Neste objetivo há 09 metas estabelecidas e uma delas prevê: “Até 2030, reduzir em um terço a mortalidade prematura por doenças não transmissíveis por meio de prevenção e tratamento, e promover a saúde mental e o bem-estar”. É exatamente neste contexto que se encaixam as campanhas do Outubro Rosa, para prevenção do câncer de mama.

 

Ou seja, a prevenção do câncer de mama é uma forma de contribuir para o alcance deste Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) nº 03. Claro que esta contribuição não se limita apenas à prevenção do câncer de mama, mas de todos de uma forma geral, porém vamos nos limitar ao tema deste texto.

 

É de conhecimento de todos que o câncer de mama é o mais incidente em mulheres no mundo, com aproximadamente 2,3 milhões de casos novos estimados em 2020, o que representa 24,5% dos casos novos por câncer em mulheres. É 

também a causa mais frequente de morte por câncer nessa população, com 684.996 (seiscentos e oitenta e quatro mil novecentos e noventa e seis) óbitos estimados para esse ano (15,5% dos óbitos por câncer em mulheres) (INCA, 2021).

 

Este cenário não muda no Brasil, pois é também o tipo de câncer mais incidente em mulheres de todas as regiões, sendo a primeira causa de morte por câncer em mulheres. Suas causas estão ligadas umbilicalmente com má alimentação e ausência de atividade física, sendo a obesidade um fator de risco, que aumenta em até 30% (trinta por cento) o desenvolvimento da doença.

 

No âmbito da Gestão Pública, seja ela Municipal, Estadual ou Federal, a implantação de serviços de saúde voltados para a prevenção do câncer de mama, através de campanhas de conscientização e incentivo à realização de exames de rotina, é uma medida eficaz para o atingimento de uma das metas dos objetivos de desenvolvimento sustentável, prevista na Agenda 2030. Além, é claro, de serem medidas muito eficientes contra esta doença que assola tantas mulheres no mundo.

 

Mas e você? Já focou no seu autocuidado hoje? 

 

Amiga, se toca! Previna-se.  

 

Milena Ferreira Santos é Advogada e integra o setor de Direito Privado do Grupo Confiatta, atuando na área de Consultoria Jurídica com foco em Infraestrutura e Ambiental. Milena é pós-graduanda em Direito Ambiental, em Gestão Ambiental e Sustentabilidade, e é presidente da comissão de Saneamento Básico da OAB Sorocaba.

 

ÚLTIMAS DO BLOG

Fase V Sistema Audesp – Sistema de repasses públicos ao Terceiro Setor
I - INTRODUÇÃO   Criada em 2012, a Audesp tem como principal objetivo realizar o massivo processamento de informações às Diretorias de Fis...
Publicada em: 07/10/2021
VER MAIS
As dificuldades enfrentadas na gestão de recursos destinados para a Covid-19
Desde o surgimento dos primeiros casos do novo Coronavírus (Covid-19), o Brasil, assim como a maioria dos países, vem vivendo a pior crise sanitária da sua his...
Publicada em: 07/10/2021
VER MAIS
Contabilidade Pública: O que você precisa saber
A Contabilidade é uma ciência que estuda, interpreta e registra todos os eventos que venham a modificar o patrimônio de uma entidade, subsidiando seus administra...
Publicada em: 07/10/2021
VER MAIS

EM QUE
PODEMOS
AJUDAR?

Escritório

Rua Caracas, 886
Jardim América - Sorocaba/SP
CEP: 18046-718


Telefone:

Telefone Fixo: +55 (15) 3233-8395  

Whatsapp:  +55 (15) 996123223


E-mail:

contato@confiatta.com.br

Entre em contato conosco, preencha nosso formulário de contato.

Grupo Confiatta® 2020. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por: